Hospital Nosso Lar

Gestões

MARIA EDWIGES BORGES

1 – MARIA EDWIGES BORGES (1966 – 1997)

Maria Edwiges Borges é um nome expressivo nos anais da história de Campo Grande, pois seu trabalho assistencial se estendeu por várias regiões deste Estado onde foi sempre recebida com carinho e consideração.
Dona Edwiges, como foi conhecida, dirigiu  o Hospital Nosso Lar de janeiro de 1966  à  agosto de 1997, ficando ainda como Presidente de Honra do mesmo até 25/07/2000, quando  então veio a falecer à 01h30, aos 84 anos e nove meses de idade por causas naturais. O corpo foi velado onde saiu às 15:00 h. para o cemitério Santo Antônio, deixando como herança um exemplo a ser seguido.
D. Edwiges foi também diretora da Sirpha (Sociedade de Integração e Reabilitação da Pessoa Humana) que atende aos egressos hansenianos. Fundou em 1979 a Federação Espírita de Mato Grosso do Sul, que presidiu por 18 anos. Médium, escritora, expositora, foi Presidente por vários mandatos, desde 1953, do Centro Espírita  Discípulos de Jesus,  existente em Campo Grande  fundado em 03 de maio de 1934, à rua Maracaju, 244/250, sendo a iniciadora do Movimento Espírita em Mato Grosso do Sul, criando o primeiro grupo social de que se tem notícia nesta cidade, existindo até hoje com a denominação de Assistência aos Necessitados, fundando e incentivando ainda  grande número de grupos de trabalhos voltados às obras caritativas e de estudos da Doutrina Espírita.
D. Edwiges pertenceu a uma família tradicional com raízes em Mato Grosso nas cidades de Porto Murtinho, Cáceres e Corumbá. Nasceu no Rio de Janeiro, veio para Mato Grosso, ainda não dividido, jovem na época.
Na adolescência, vindo do Rio de Janeiro, estabeleceu-se em Porto Murtinho. Estudou em Corumbá e em Cuiabá. Fixou residência em Campo Grande no ano de 1942. Casou-se com Gumercindo Bruno Borges, militar que alcançou o posto de Major.
Não teve filhos carnais, sendo porém venerada como mãe espiritual daqueles que se acercavam dela e com ela aprenderam  as primeiras noções da Doutrina codificada por Allan Kardec e de fraternidade cristã.


rYMDR

2 – JERONYMO GONÇALVES DA FONSECA (1997 – 2007)

Nascido aos 14/01/1928 na cidade de Campo Grande, MS. 2º  filho de Modesto Gonçalves da Fonseca e Catharina Luiza da Fonseca. Viveu sua infância em uma chácara de seu pai entre as cidades Campo Grande e Rochedo, as margens do rio Ceroula. Estudou  na Escola Osvaldo Cruz a partir dos 12 anos de idade até formar-se no curso de Contador em 1953. Foi diplomado e licenciado também no ano de 1965 em Pedagogia pela Faculdade Dom Aquino de Filosofia, Ciências e Letras.
Mudou-se em definitivo para Campo Grande no ano de 1947 e no ano de 1954 perdeu seu pai com 23 anos de idade.
Trabalhou como funcionário da Concessionária Ford em Campo Grande de 1944 a 1966, tendo também neste período, no ano de 1954 trabalhado em São Paulo por apenas 6 meses em um a agência um Banco, retornando em seguida para sua cidade natal.
Casou-se com Maria Otília Guerreiro da Fonseca no ano de 1957, sendo pai de 4 filhos; Rosane Mara Gonçalves da Fonseca, Enier Guerreiro da Fonseca, Zilei Guerreiro da Fonseca e Mariel Guerreiro da Fonseca.
No ano de 1966, desligou-se da Concessionária Ford, constituindo negócio próprio no ramo de auto-peças até o encerramento desta atividade no ano de 1982. Aposentou-se em 1979 por tempo de serviço pelo Instituto Nacional de Previdência Social.
Iniciou suas atividades espíritas por volta do ano de 1950 no Centro Espírita Discípulos de Jesus e no ano de 1952 conforme registro em  Ata, exerceu o cargo de Conselheiro Fiscal na Mocidade Espírita Campograndense. Desde então, já começou a trabalhar nas obras para a construção do Sanatório Mato Grosso.
De 1957 a 1959 ocupou o cargo de Secretário do Centro Espírita e de 1959 a 1979 o cargo de Vice Presidente.  Após esta data, assumiu a Presidência do Centro Espírita, da Casa da Criança e  foi Vice Diretor do Hospital Nosso Lar, quando no ano de 1997 com o afastamento da Srª Edwiges do cargo de Diretora do Hospital, passou então a assumir esta função até o dia 14 de setembro de 2007.
Foi Vice Presidente da Federação Espírita de Mato Grosso do Sul do ano de 1979 a 1997 e Presidente desta Federação do ano de 1997 até o ano de 2000.
A vida do Srº Jeronymo é digna de ser escrita em livro pelo grande trabalho realizado, não só em pro da causa espírita, como pelos ensinamentos  deixados e também como um grande pai que foi, um excelente marido, uma pessoa de grande caráter, determinação, perseverança e de muito auxílio aos mais necessita


3 – ANGELA MARA BARSANTE SANTOS MORENO (2007 – 2015)